sábado, 20 de agosto de 2011

Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina 2007 - Parte V


BUENOS AIRES

Chegamos em Buenos Aires por volta das 21hs. Um pouco antes de atracarmos fomos até a parte externa do ferry para admirar a vista da cidade toda iluminada e cheia de vida. Mi Buenos Aires Querido, aqui estamos nós! 

Fomos até o convés inferior para aguardar a saída da embarcação de dentro do carro e logo já estávamos dirigindo pelas calles argentinas

A nossa primeira impressão não foi das melhores. As ruas por onde passamos para chegar até o nosso hotel estavam imundas e a quantidade de pessoas dormindo nas ruas era apavorante. 

Aliás, para ser sincera a nossa passagem por Buenos Aires não foi muito agradável e a primeira dica que dou para quer estiver de carro é: NÃO ANDE DE CARRO! Deixe ele lá bem estacionado e esquece porque dirigir em Buenos Aires é enlouquecedor e acabou estragando a nossa viagem por isso fizemos pouquíssimas coisas por lá. Aproveite que a cidade possui metrô, el subte como é chamado por lá, e use-o.
Mapa do El Subte de Buenos Aires. Disponível em
A rede de metrô possui 6 linhas – de A a E e a H – e antes de chegar lá dê uma estudada no mapa e nos horários no site da operadora: http://www.subte.com.ar/contenido/home.asp

Para entender melhor a cidade, segue abaixo um mapa dividido por bairros, os mais relevantes são: Palermo, San Telmo, La Boca, Belgrano, Puerto Madero, Recoleta e Plaza de Mayo.

Mapa de Buenos Aires dividido por bairros. Imagem disponível em http://www.latidobuenosaires.com/ Acesso em 21.08.11
Não me lembro o nome do hotel onde ficamos na primeira noite, mas de qualquer forma não foi uma boa escolha. O hotel em si não era tão ruim, era bem simples mas a região era péssima e não tinha estacionamento. Fizemos o check-in (a primeira noite já estava paga mesmo), mas logo fomos atrás de um computador com internet para tentar reservar um outro hotel para os dias seguintes. O Ibis é sempre a melhor opção em uma situação dessas. Em Buenos Aires tem dois, o Ibis Buenos Aires e o Ibis Buenos Aires Obelisco, nós escolhemos o primeiro que era mais barato.

No dia seguinte acordamos cedo e fomos procurar um lugar para tomarmos café da manhã. A zona  durante o dia era bem diferente (estou me odiando por não lembrar onde era o hotel) e como estávamos mais ou menos perto da Calle Florida aproveitamos e fomos caminhando até lá.

A Calle Florida (e não Flórida como eu mesmo achava) é o endereço mais famoso, turístico e tradicional para se fazer compras, mas não é o único. Quem gosta dos outlets vai adorar a Avenida Córdoba no bairro de Palermo entre os números 4.200 e 4.900, próximo à Avenida Raúl Scalabrini Ortiz. Lá você encontrará lojas de marcas argentinas como a Orix e a Caro Cuore e marcas mais internacionais como Nike, Levi's, Adidas e Fifa. Na Calle Aguirre (saindo da Av. Córdoba andando sentido o Parque del Centenario) há outras lojas como a Lacoste, Cacharel e Brooksfield. Na rua Gurruchaga (uma travessa da Aguirre) há a Wrangler, a Puma e a queridinha francesa Yves Saint Laurent.

Para quem gosta de artigos e peças de couro, continuando pela Gurruchaga vá até a Calle Murillo no bairro Villa Crespo. Lá as lojas Patagonia Cueros, Murillo 666 e a Reza Duro são consideradas as melhores.

Calle Florida, Buenos Aires. Foto disponível em http://www.rochester-hotel.com Acesso em 21.08.11

Calle Florida à noite. Foto disponível em http://www.goargentina.net/ Acesso em 21.08.11

Apresentação de Tango na Calle Florida. Foto disponível em http://www.travelpod.co.uk/ Acesso em 21.08.11
Depois de encontrarmos o nosso segundo hotel fomos dar uma volta pela cidade e a nossa primeira parada foi na Casa Rosada.

A Casa Rosada é a sede central do poder executivo da República Argentina. Localizada na Playa de Mayo, é um dos edifícios mais importantes de Buenos Aires. O nome vem obviamente da cor rosada de sua fachada mas nem todos sabem que essa cor foi escolhida durante a presidência de Domingo Faustino Sarmiento que governou de 1868 a 1874 e naquela época as tintas mais baratas eram feitas de cal, gordura e sangue de boi, o que dava uma cor meio rosada. Além de ser sede do governo, a Casa Rosada abriga o Museo de la Casa de Gobierno onde há uma exposição de objetos e materiais ligados à história do país e aos seus presidentes.

Casa Rosada, Buenos Aires. Foto disponível em http://www.buenosaires.travel/ Acesso em 23.08.11
O local foi palco de diversas manifestações políticas e artísticas e foi alí que a famosa cena do filme "Evita" (de Alan Parker) foi gravada: Um discurso de Evita Perón interpretada por Madonna cantando a música "Don't cry for me Argentina".


Aos sábados, domingos e feriados algumas áreas do palácio são abertas a visitação das 10 às 18hs e a entrada é livre.

Quem quiser aproveitar, alí pertinho há um famoso e tradicional café na Avenida de Mayo, 825, o Café Tortoni que faz parte dos "Bares Notáveis" de Buenos Aires, um grupo formado pelos mais representativos da cidade oficialmente apoiados pelo governo. O lugar era frequentado por Carlos Gardel, o cantor de tango argentino mais famoso.

Café Tortoni, Buenos Aires. Foto disponível em http://es.wikipedia.org/ Acesso em 22.08.11
Saímos caminhando até chegar na Avenida 9 de Julho. A Avenida mais importante de Buenos Aires leva esse nome em homenagem a data da declaração de independência da Argentina em 1816. Por ser uma avenida com 140 m de largura, sempre entra na discussão sobre qual é a avenida mais larga do mundo concorrendo com o Eixo Monumental de Brasília. Os pontos mais importantes da avenida são o Obelisco, que fica no cruzamento desta avenida com a Corrientes e o Teatro Colón.

O Obelisco de Buenos Aires está localizado na Praça da República e é um dos cartões postais da cidade portenha. Erguido em 1936 em comemoração ao quarto centenário da fundação de Buenos Aires, a sua construção durou apenas 31 dias. Em 1938 ele quase foi demolido por ser considerado um trambolho, mas a resolução foi vetada pelo então prefeito da cidade. Naquele mesmo local em 1812 havia a igreja de São Nicolau e nela a bandeira da Argentina foi asteada pela primeira vez em Buenos Aires e para recordar o fato há uma inscrição do lado norte do monumento que diz: "En este sitio en la torre de San Nicolás fue izada por primera vez en la ciudad la Bandera Nacional el VVIII de agosto de MDCCCXII". 

Em 1° de dezembro de 2005 uma iniciativa do governo junto com uma rádio local vestiu o Obelisco com uma camisinha cor-de-rosa gigante de 67 m em comemoração ao Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, fato que foi amplamente divulgado na mídia assim como quando o mesmo foi feito em Paris no Obelisco da Praça Concorde em 1993.

O Obelisco de Buenos Aires. Foto disponível em http://en.wikipedia.org/ Acesso em 22.08.11

O Obelisco vetido de camisinha em 2005. Foto disponível em
http://www.ninjamarketing.it/ Acesso em 22.08.11
O Teatro Colón é um dos teatros de ópera mais famosos do mundo. Inaugurado em 1908, o teatro já recebeu muitos famosos como o maestro italiano Arturo Toscanini, os tenores italianos Enrico Caruso e Luciano Pavarotti e o tenor espanhol Plácido Domingos, a cantora lírica americana Maria Callas e o compositor de tango mais importante da segunda metade do século XX, o argentino Astor Piazzolla. No site do teatro é possível consultar as datas em que o mesmo estará aberto para visitas guiadas: www.teatrocolon.org

Teatro Colón, Buenos Aires. Foto disponível em

Interior do Teatro Colón. Foto disponível em http://bathinks.wordpress.com/ Acesso em 22.08.11
O bairro Recoleta é um dos bairros residenciais mais luxuosos da cidade, mas além das lojas de grifes e mansões abriga também o Cemitério da Recoleta onde é possível visitar o túmulo de Eva Perón, A Floralis Genérica (monumento gigantesco em forma de flor com pétalas que se abrem de manhã e se fecham à noite localizado na Plaza de las Naziones Unidas) e o Museu Nacional de Belas Artes (que conta com obras de Rembrandt, Renoir, Rodin, Delacroix, Cézanne, Van Gogh, Miró, Monet, entre outros), além de ser uma ótima pedida para a noite com diversos restaurantes, bares e casas noturnas.

Floralis Genérica, Buenos Aires. Foto de Eduardo de Almeida disponível em http://www.artefazparte.com/ Acesso em 22.08.11
Outro cartão postal da cidade é a pequena Caminito. Localizada no bairro La Boca, a rua é um museu a céu aberto idealizado pelo artista ítalo-argentino Quintela Martins, formado por casas construídas com madeira retirada dos navios dos imigrantes e com fachadas de chapa de aço pintadas com cores vibrantes. A rua é uma zona de pedestres que possui diversas obras de arte, feiras de artesanato, apresentações de tango, bares e restaurantes.

Caminito, Buenos Aires. Foto disponível em http://www.onturismo.com/ Acesso em 22.08.11

Caminito, Buenos Aires. Foto disponível em http://www.buenosaires54.com/ Acesso em 22.08.11
À noite fomos jantar em Puerto Madero, o antigo porto da cidade que hoje é um bairro nobre e o centro financeiro de Buenos Aires. A região chegou a ser uma das áreas mais degradadas da cidade o que hoje é difícil de acreditar devido a sua modernidade e o grande fluxo de turistas e argentinos que passam por lá e disputam uma mesa em um dos seus famosos restaurantes. O porto deixou de ser utilizado em 1926 por ter pouca profundidade o que impedia que grandes navios pudessem atracar nele, portanto foi necessário construir outro porto, o Porto Nuevo que opera até hoje como porto oficial. Assim o porto antigo foi deixado de lado e quase chegou a ser demolido. Depois de passar por um longo período de revitalização e reurbanização hoje a zona é uma concorrida atração turística. Um dos mais badalados restaurantes é o Siga la Vaca que serve a autêntica parrillada argentina, quem aguentar encarar a fila, boa sorte!

Puerto Madero e a Puente de la Mujer, Buenos Aires. Foto disponível em http://www.latidobuenosaires.com/ Acesso em 22.08.11

Puerto Madero de dia. Foto disponível em http://rutanomada.com/ Acesso em 22.08.11
Outra dica imperdível para curtir a noite portenha é assistir a um dos milhares shows de tango que a cidade oferece. Alguns dos mais procurados são: Viejo Almacén, La VentanaEl Querandi em San Telmo, Señor Tango em Barracas, Tango Porteño perto do Obelisco, Esquina Homero Manzi em Boedo, Madero Tango em Puerto Madero.

O Tango é o ritmo característico da Argentina mas já foi muito descriminado por ter sua origem nas zonas pobres e bordéis e só ganhou o seu devido valor após 1910 quando foi levado para Paris, onde fez muito sucesso. A partir de então começou a ser vistos com outros olhos pela aristocracia argentina.

Foto disponível em http://mineiro8b.webnode.pt Acesso em 23.08.11
Acordamos no dia seguinte e fomos para o Zoológico da cidade que fica no bairro Palermo, mas caímos lá de paraquedas. Depois de encararmos o trânsito caótico e frenético acabamos nos perdendo e quando vimos estávamos ao lado do Zoo. Nada melhor do que um local tranquilo para acalmar os nervos, parecia que estávamos no paraíso. Para quem gosta de bichos e de ter um pouquinho de contato com a natureza, e lógico, estiver com a criançada, vale muito a pena!

Algumas fotinhos que tiramos no Zoológico












Alguns animais ficam soltos pelo zoológico, até almoçamos com eles, mas tinha um bando de outros animais sentados na mesa ao lado dando batata frita para eles...




É praticamente impossível escrever em apenas um post tudo o que há para fazer lá sem esquecer de nada, ainda mais que muitos desses lugares nós não tivemos tempo de ir visitar, mas com certeza haverão outros posts aqui sobre Buenos Aires pois pretendemos voltar lá com mais calma, com certeza. Enquanto isso a nossa próxima parada é: Rivera e Santana do Livramento!



Links, dicas e +info  

Informações úteis Argentina
  • Moeda: Pesos Argentinos (1,00 BRL = 2,59 ARS aprox.) Ver cotação
  • Capital: Buenos Aires
  • DDI: 54 / Buenos Aires: 11
  • Telefones úteis: Informações 110 - Polícia 911 - Emergências médicas em Buenos Aires 107.
  • Consulado-Geral do Brasil em Buenos Aires: Carlos Pellegrini 1363 5° piso - Tel. 4515 6500 - Plantão de Emergência do Consulado 15 4199 9668.
  • Documentos necessários para entrar e circular no país de carro: Carta de identidade recente ou passaporte válidos;  CNH; documentos de propriedade do veículo ou procuração por instrumento público ou particular com firma reconhecida autorizando o motorita a conduzir o veículo, no caso de o motorista não ser o proprietário do mesmo (a procuração poderá ser dispensada se o motorista for familiar direto como filho(a), cônjuge, pai ou mãe do proprietário e se este estiver presente no mesmo veículo, viajando como passageiro); Carta Verde; Cartões de Entrada que são entregues pelas autoridades na entrada do país e que devem ser devolvidos na saída.
  • É necessário providenciar para o automóvel um triângulo extra, um cambão para reboque, kit para primeiros-socorros e se for circular em regiões com neve, corrente para os pneus (cadenas).
  • Os pedágios só aceitam Pesos Argentinos.
Carta Verde
  • Documentos necessários para a retirada da Carta Verde: Documento do veículo, RG do Proprietário do veículo e pagamento da taxa de acordo com o n. de dias do seguro.
  • Onde pagar a taxa: Agência do BB, Caixa Econômica Federal ou corretoras de seguros.
  • Maiores informações para retirada da Carta Verde: http://mercosul.ufpel.edu.br/informacoes.htm
Não deixe de:
  • Experimentar as deliciosas carnes argentinas: Bife de chorizo (contrafilé), o Assado de Tira (costelas), o Bife de Lomo (filé mignon);
  • Comer e comprar para levar os alfajores con dulce de leche;
  • Experimentar os vinhos argentinos;
  • Comer uma Picada, uma espécie de tábua de frios, as Empanadas, massa recheada com carne, cebola, ovos e azeitonas, e a Parrillada Argentina, espécie de churrasco feito na grelha.
  • Aprender alguns passinhos de tango, por quê não?!
Tax Free Refund
  • Procure lojas que possuem o adesivo da campanha, com isso você poderá pedir reembolso dos impostos dos produtos argentinos que você comprar (somente para compras acima de $70 pesos argentinos) que podem chegar até 17,5%. Para isso peça o voucher da Global Refund ao vendedor e guarde-o para apresentar na alfândega junto com as mercadorias. Para quem for voltar de avião para o Brasil não esqueça de fazer isso antes de despachar as malas, pois as mercadorias devem ser apresentadas ao agente alfandegário que irá controlar e carimbar o voucher correspondente ao produto. Para o reembolso basta apresentar o voucher carimbado em uma das lojas da Global Refund.

Nenhum comentário:

Postar um comentário